Herval tem decreto de emergência homologado pelo Estado.

Nesta segunda, 05 de março o município de Herval teve sua situação de emergência reconhecida pelo Estado, através do Decreto Nº 53.949, considerando que o Município esta sendo afetado por mais de  80 dias. Providências já foram tomdas, porém ainda está longe de amenizar o problema. O município necessita de apoio financeiro, o decreto reconhecido pela defesa civil e a homologação do estado já aconteceram, resta o reconhecimento pelo Ministério da Integração e Liberação de Recurso, solicitação que já consta no Decreto.

O Prefeito em exercício Fernando Silveira está articulando com o exército e lideranças da região, para apoio nesta situação de emergência. O trabalho de levar água em caminhões pipa está acontecendo porque diversas regiões do município estão sem água, a comida é escassa, prejuízos na produção leiteira, na agricultura e pecuária. Setores mais afetados diante deste cenários climáticos.

Diário Oficial

#Entenda um pouco mais sobre a situação

Na manhã da terça-feira, 20 de fevereiroDiário Oficia, o Prefeito por meio de suas atribuições assinou o decreto de emergência pela situação de estiagem que o município vem enfrentando há mais de 60 dias e que assola a zona rural do Município, ocasionando o agravamento nas perdas das atividades agrícolas e pecuárias com proporções elevadas.

Segundo o levantamento da Secretaria de Agropecuária e Desenvolvimento junto com a EMATER e Defesa Civil municipal, as perdas continuam na agropecuária, especialmente nos setores de gado leiteiro, gado de corte, soja, milho, feijão, abóbora japonesa e melancia, todas estas culturas apontam drásticas reduções na produtividade e até mesmo perda total em algumas lavouras.

Outro fator que tem pesado muito é a escassez de água nas fontes naturais e açudes, segundo os relatos de todos os cantos do município, e segundo os dados vistos e agrupados grande parte destas propriedades já estão completamente desabastecidas, para o consumo humano e animal, situação que emergencialmente vem sido amenizada através da parceria entre município, cooperforte e Emater que estão abastecendo casas com caminhões pipa, porém, a situação é grave.

A conseqüência deste desastre resulta em danos materiais e ambientais, e os prejuízos econômicos e sociais constantes conforme relatado pelas outras secretarias do município, como a secretaria de assistência social, local geralmente procurado para solicitação de alimentos e relatos da falta das necessidades básicas.

O primeiro encontro com os secretarios, prefeito e produtores com a coordenadora da Defesa Civil municipal aconteceu no dia 08 de fevereiro, dia em que foram solicitados os levantamentos de todas as secretarias para contabilizar e estipular os prejuízos causados por conta da seca. Na mesma manhã, o Prefeito recebeu o 3° Sargento João Carlos Goulart Domingues adjunto da Defesa Civil Regional (Pelotas) veio ao município para passar pelas propriedades, verificar a situação da estiagem para atestar através de relatório que compõe o Decreto de Emergência.

Relatos sobre falta de água continuam a chegar todos os dias, a situação da área rural é de calamidade e diversas comunidades estão necessitando de apoio. O decreto já foi publicado e encaminhado para homologação do estado e reconhecimento do Ministério da Integração Nacional, resta agora aguardar estas aprovações para saber se o município poderá contar com apoio e verba do Governo Federal em apoio e minimização das perdas causadas pela seca e estiagem. De qualquer maneira a admisitração municipal vem apoiando de todas as maneiras possíveis os atingidos por este período.